quinta-feira, 27 de abril de 2017

His Dick Is Thick - Parte 2/2

A tarde se sobrepõe à manhã. A praia transborda de gente, sobretudo de rapazes nus, e Marrie, sempre vigilante com sua câmera, tem garantido o seu passatempo. Após alguns cliques a moça avista Gustavo pela primeira vez, e também pela primeira vez o maior pau que já tinha visto. Começa a fotografá-lo, irrefletidamente, admirando-o em cada passo, cada movimento. Seus testículos pendidos balançavam; sua caixa peitoral parecia contrair-se e relaxar-se mutuamente; seus cabelos castanhos soltos no vento; tudo virou foto!

Carrie, sentada, sempre submersa nas suas edições de moda, por acaso olha por cima da revista e enxerga, exuberante ao sol, os músculos morenos de Gustavo Mateus e, sem notar, deixa cair no colo a revista já desinteressante. Tira os óculos escuros que lhe cobriam os olhos claros para ver melhor o monumento masculino que desfilava vindo em sua direção. Ergue as sobrancelhas, como surpresa, ao olhar um pouco mais embaixo a cor e rigidez de sua virilha. Aquilo foi o suficiente para a magérrima americana erguer-se e correr atrás do salva-vidas como o cão que persegue o filé mignon.

Na noite que cobre repentina a costa do Rio de Janeiro, Carrie sente os compridos centímetros que ainda não tivera o privilégio de sentir com o marido nem com qualquer outro homem. Geme irrefletidamente, como uma virgem, durante todas as transas férvidas da noite. Quando o sol nasce no dia seginte, ele encontra Carrie de joelhos para Gustavo, submissa como gostava de estar, babando as veias de seu pênis e logo recebendo o produto volátil do seu quarto orgasmo. Carrie suga-lhe o sêmen, massageando o comprido membro que tinha entre os lábios e seus relaxados testículos.

Ao mesmo tempo, no hotel, Marrie masturba-se discretamente no banheiro, vendo as fotos do salva-vidas e seu pau negro que vinha capturando. Decide-se ali, resoluta: "Minha virgindade é dele!". Mais tarde, a moça trêmula decide subornar o salva-vidas e vender sua pureza a ele. "I'll give to you five hundred dollars! Is it enough?" perguntou a Gustavo, e este, aceitou. "Yes, it is!"

Ainda naquela noite os dois se encontram no apartamento do salva-vidas. Lá tudo está bonito, para familiarizar a moça. No quarto, limpo e cheiroso, ela esparrama-se no meio da cama. Despe-se até o homem tomá-lá totalmente nua entre os músculos dos braços. O safado salva-vidas logo a ensina como chupa-lo. Depois masturba ela enquanto ouve seus gemidos chorosos. Seu pênis se enterra naquela vagina pequena e rosa fazendo sua dona urrar a plenos pulmões a noite toda.

Pela cálida manhã do dia seguinte o sangue se revela às gotas pelos lençóis claros. Entre eles, Marrie desperta, nua, manhosa, a se espreguiçar:

― Oh! What a beautiful day! ― balbuciou enquanto sentia os mamilos doerem.

Naquele mesmo dia, já pela tarde, Brian, o filho caçula de Bruce, tenta pela terceira vez consecutiva construir um bom castelo de areia, talvez para impressionar os amiguinhos derredor. Frustrado, ele pede ajuda ao salva-vidas Gustavo, que transcorria o terreno da praia em sua inspeção corriqueira:

― Hi! I'm Brian. Could you help me, please? I'm trying to build a sandcastle, but I can't to do it! ― apelou o garoto, protegendo com a sombra da mão os olhos vivíssimos do sol forte.

― Hi, Brian. I'm Gustavo. I'll help you. Let's?

― Let's! ― sorriu o alegre garotinho.

Gustavo abaixa-se sobre as pernas, trincando o abdômen sarado, fazendo a sunga moldar as suas curvas genitais, e ajuda o comunicativo menino americano a construir um belo castelinho, impressionando os amiguinhos brasileiros ao redor.

Minutos depois, Gustavo se levanta e anda pela areia. O garoto americano o interroga:

― Hey! Where are you going? ― pergunta o curioso garoto.

― Sorry, Brian! I have to go to WC!

― Wait, I go with you!

Ambos dirigem-se então ao banheiro. Ora, que problema tem em os dois atenderem a um comum chamado da natureza e se aliviarem juntos?

Gustavo manuseia o pênis e mira o vaso, imitado pelo jovem Brian. O menino, quando olha o tamanho do mastro do amigo salva-vidas, não esconde o espanto na expressão fisionômica. Certamente era o maior pau que já tinha visto e sua ingenuidade infantil o fez pensar consigo: "Quando crescer, eu quero ter um desse!".

As férias estavam chegando ao fim. A família se preparava para despedir-se do calor e das peripécias no Rio e voltar ao frígido Oregon. Já no avião, acomodados, pai, mãe, filho e filha despedem-se do Pão De Açúcar pela janelinha vítrea. "One day we'll come back!" disse Bruce, confiante.

Na poltrona, junto da mãe, o inocente Brian, debruçado sobre o seu colo, conversa com ela:

― I met a good guy, mom! ― disse o garotinho.

― Really? What's his name? ― perguntou ela, curiosa.

― He's called Gustavo! He helped me to build a sandcastle in the beach!

― And what is he look like? ― torna a perguntar, a mãe.

― His dick is tick! SO TICK, mom!

Todos olharam espantados para o garotinho louro e riram-se, já sentindo profundas saudades do brasileiro bem-dotado.

FIM


Jesús Blasco, 03 de Fevereiro de 2016.

Nenhum comentário:

Postar um comentário